Nº 291 - ANO 21 - DEZEMBRO DE 2007
 
Venda de carne suína deve crescer 10%
 
A venda de cortes suínos deve encerrar o ano com um aumento na ordem de 10%. Nos dez primeiros meses de 2007, o setor obteve faturamento de 955,5 milhões de dólares, com a exportação de 500 mil toneladas do produto. A estimativa do presidente da Comissão de Suinocultura da Farsul, João Picoli, é que 2007 seja encerrado com embarque de mais de 600 mil toneladas e que a receita chegue a 1,1 bilhão de dólares.
No entanto, Picoli faz um alerta aos criadores. Ele acredita que é válido que o produtor busque ganhar mais nesta época do ano, quando aumenta a demanda por carne suína, mas deve-se ter muito cuidado. “Não se pode exagerar porque, neste caso, o consumidor pode optar por outras carnes.” O reflexo disso poderia invalidar, na opinião de Picoli, o trabalho que a cadeia vem desenvolvendo com a campanha Um novo olhar sobre a carne suína, promovida pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e pela Associação dos Criadores de Suínos do Estado (Acsurs). O objetivo da ação é aumentar o consumo dos cortes no Brasil em um quilo per capita ao ano.
Neste final de ano, o abate no Rio Grande do Sul deve ser superior à média mensal de 500 mil animais. Conforme Picoli, com a demanda por animais inteiros para as festas de fim de ano, aumenta a procura por leitões. “O final de ano é o momento em que as pessoas querem animais inteiros para a ceia.” A expectativa do dirigente é de enxugamento dos estoques.
Preço mínimo
A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) do Senado aprovou, no dia 28 de novembro, parecer do senador Raimundo Colombo (DEM-SC), sobre o projeto de lei 348/07, do senador Valdir Raupp (PMDB-RO), que inclui a carne suína na pauta de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM). Com isso, o produto estaria protegido de eventuais crises externas, a exemplo do ocorrido em 2005, quando a Rússia embargou a carne de Santa Catarina, causando grandes prejuízos aos produtores. O projeto segue para análise da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).
voltar