Nº 293 - ANO 22 - FEVEREIRO DE 2008
 
Sem-terra invadem mais uma vez a Coqueiros
 
Foto: Arquivo  
Clique para ampliar
Gedeão Pereira
Mais de 1,2 mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), oriundos de acampamentos e assentamentos de diversos pontos do Estado, invadiram, no dia 14 de janeiro, a fazenda Coqueiros, em Coqueiros do Sul. Eles permaneceram no local por duas horas e meia e depois seguiram para Sarandi. A Polícia Civil de Carazinho abrirá inquérito para apurar os danos registrados na Coqueiros. Vistoria preliminar realizada pelos proprietários e pela Brigada Militar apontou 20 pneus de tratores e caminhões cortados, um motor de trator danificado, caminhões e máquinas agrícolas com latarias amassadas, além de uma parede pichada.
Conforme ocorrência policial, a invasão foi feita inicialmente por dez homens armados com espingardas e revólveres. Os invasores permaneceram no local por duas horas e meia. De lá, seguiram para o Assentamento Novo Sarandi (antiga Fazenda Annoni), onde promoveram o Encontro Estadual do MST até o dia 18. A invasão teria sido um ato simbólico para marcar a abertura do encontro.
O presidente da Comissão de Assuntos Fundiários da Farsul, Gedeão Pereira, acredita que a propriedade já foi invadida 12 vezes. “A novidade agora é que a propriedade não pode ser desapropriada”, afirmou. O dirigente destacou que a Coqueiros é produtiva e possui uma grande unidade de reflorestamento. “Não existe um fundamento lógico na invasão da propriedade, a não ser a destruição.” Por isso, acrescentou, a Farsul manterá a atenção voltada à questão.
No dia 21 de janeiro, o MST invadiu a Fazenda Finca, em Guaíba, que pertenceu ao traficante colombiano Juan Carlos Abadia. Os sem-terra deixaram a área no dia 23.
voltar