Nº 323 - ANO 24 - AGOSTO DE 2010
 
Produtores dão demonstração de força em audiência pública
 
Aproximadamente 1,5 mil produtores rurais lotaram o Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa, no dia 8 de julho, para discutir distorções na cadeia produtiva do arroz que prejudicam os agricultores. Após os debates, os orizicultores prepararam um grande carreteiro na Praça da Matriz, servido aos presentes no ato e ao público em geral, como forma de conscientizar a sociedade urbana sobre os problemas no campo.
O coordenador da Comissão de Arroz da Farsul, Francisco Schardong, destacou a presença maciça de agricultores no debate e saudou a participação de produtores de outras culturas que prestaram solidariedade aos arrozeiros. De acordo com o presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, Edson Brum (PMDB), o parlamento está agindo para apurar as causas de um aumento de 5,4% do arroz no supermercado, enquanto o produtor está recebendo 13% menos pelo produto.
No início de agosto, no entanto, o mercado começou a reagir, respondendo tardiamente à quebra na safra com melhora de preços ao produtor. "O mercado está reagindo à quebra na safra. Esperávamos que essa reação tivesse vindo antes, mas ela só veio mesmo depois que o Banco do Brasil prorrogou os custeios e, com isso, 700 mil toneladas deixaram de ser colocadas no mercado", explicou Schardong.
A ausência de representantes da indústria arrozeira e de supermercadistas na audiência pública foi condenada pelos produtores e parlamentares presentes. Deputados não descartaram a abertura de uma CPI para tratar do problema. Outro mecanismo defendido é a criação de um Conselho Paritário do Arroz, reunindo os diferentes elos da cadeia produtiva, a exemplo do que ocorre no Conseleite. A ideia foi defendida pelo deputado Jerônimo Goergen, coordenador da Frenteagro na Assembleia, em reunião realizada na semana seguinte à audiência pública, desta vez com representantes das indústrias.  “O principal objetivo do Conselho é buscar soluções conjuntas para problemas comuns. É um organismo técnico que faz levantamentos através de órgão de pesquisa contratado para formação de preços. Com a criação do Consearroz, entendo que ganharia também o consumidor, que saberia o que paga e por que paga”, explicou.
Na audiência pública, manifestaram-se em apoio à luta dos produtores o presidente da Assembleia Legislativa, Giovani Cherini (PDT), além dos deputados Adroaldo Loureiro (PDT), Alceu Moreira (PMDB), Aloísio Clasmann (PTB), Frederico Antunes (PP), Gerson Burmann (PDT), Jerônimo Goergen (PP), Nelson Härter (PMDB), Paulo Azeredo (PDT) e Paulo Odone (PPS). Também estiveram presentes os deputados Francisco Appio (PP), Adolfo Brito (PP), Gilberto Capoani (PMDB), Ciro Simoni (PDT), Heitor Schuch (PSB), além do deputado federal Luiz Carlos Heinze (PP).
Outras presenças registradas foram a do Secretário da Agricultura do Estado, Gilmar Tietböhl, do Secretário da Irrigação, Rogério Porto e de representantes Fetag, Ocergs, Irga, Ministério Público Estadual, além de Farsul e Federarroz.
voltar