Jornal em Formato HTML
 
Nº 409 - ANO 31 - OUTUBRO DE 2017
 
Governo e entidades pedem investigação sobre importação de leite
 
Farsul, Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Estado e Fetag-RS encaminharam, em 4 de outubro, pedido de abertura de processo de investigação contra o Uruguai ao Departamento de Defesa Comercial do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), por conta de “evidentes indícios de irregularidades comerciais de lácteos”. Há suspeita de que outros países estejam fazendo triangulação nas exportações, ou seja, estejam usando o Uruguai como “primeira parada” para aproveitar vantagens do Mercosul.
O pedido tem como base levantamento realizado pelo grupo com dados oficiais da produção e consumo interno uruguaio e exportação para o Brasil, que indicam déficit de mais de 52 milhões de litros neste ano, contabilizando leite e derivados, em relação à produção total do ano passado, que foi de pouco mais de 1,77 bilhões de litros, conforme o Banco Mundial. Além disso, ainda em setembro, o Sindilat informou que o saldo da produção do país vizinho, desconsiderando o consumo, era praticamente o mesmo (120 mil toneladas de leite em pó, em valores convertidos) que as exportações do país apenas para o território brasileiro no ano que ainda nem terminou. “A soma do que os uruguaios consomem e o que exportam para o Brasil é maior do que a produção interna. E eles ainda exportam para mais de 50 outros países”, resume o presidente da Comissão do Leite da Farsul, Jorge Rodrigues.
Para o secretário da Agricultura do Estado, Ernani Polo, o encaminhamento é uma forma de proteger a cadeia produtiva gaúcha do leite da “desigualdade verificada no ingresso de importados”. Já o vice-presidente da Fetag-RS, Nestor Bonfanti, destaca que 22% dos produtores de leite ligados à indústria abandonaram a atividade nos últimos dois anos e que a ação pode ajudar outros a não partirem para o mesmo caminho.
voltar