Jornal em Formato HTML
 
Nº 414 - ANO 32 - MARÇO DE 2018
 
Senar-RS amplia atendimentos e quer inovar em 2018
 
Mais de 154,3 mil pessoas foram atendidas em palestras, oficinas, seminários, cursos e programas do Senar-RS em 2017, crescimento de 1,4% em relação ao ano anterior. Os números foram divulgados pela entidade em balanço de final de ano e abrangem o período de janeiro a novembro. Saúde e gestão no meio rural foram destaques na programação.
Os programas com maior alta no público atendido foram Negócio Certo Rural, com 142,4%, em relação ao número de propriedades; Boas Práticas Agropecuárias (BPA) para Bovinos de Corte, com 239,7%; Sol Rural, com 211%; e Empreendedor Rural, com 67,5%. A procura evidencia o interesse do produtor rural em melhorar a gestão da propriedade, afirma o superintendente do Senar-RS, Gilmar Tietböhl. “Tem sido cada vez mais valorizado pelos alunos uma administração mais profissional, que esteja focada não só no aumento de produtividade, mas também na sustentabilidade e em aspectos sociais.”
O ano também foi marcado pela inauguração de um novo polo de apoio presencial da Rede e-Tec, no município de São Sepé, que possibilitou a abertura de mais turmas do Curso Técnico em Agronegócio. Ele é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e acontece 80% a distância. Foi o segundo polo inaugurado no Estado - o primeiro foi em Cruz Alta, onde ocorrerá a primeira formatura no primeiro semestre deste ano. Atualmente, 168 alunos estão matriculados.
Parceria entre Farsul, Senar-RS e Sebrae/RS que busca organizar e desenvolver as principais cadeias produtivas do Estado, o programa Juntos para Competir teve participação de 5,5 mil produtores, aumento de 69,33% em relação a 2016.
Da mesma forma, ações voltadas à saúde foram intensas, com destaque para o programa Agrinho, que teve a inscrição de mais de 3 mil escolas da rede pública de ensino gaúcha e alcance de 420,7 mil estudantes (não contam no número geral de atendimentos), em 93,4% do total de municípios do Estado. Foram recebidos mais de 9 mil trabalhos sobre o tema na sede do Senar-RS, maior número registrado na história do programa. Outro programa de responsabilidade social, o Alfa, ainda registrou incremento de 9% no número de alunos alfabetizados no campo.
Para 2018, Tietböhl afirma que o foco estará no estímulo à pesquisa, no ensino técnico e em novos projetos em saúde, entre outros temas. O primeiro diz respeito ao convênio firmado com Secretaria da Agricultura do Estado, Emater/RS e Universidade de Caxias do Sul (UCS) para criar o Projeto Integrado de Pesquisa Agrícola e Capacitação de Agricultores, Técnicos e Extensionistas na Serra Gaúcha. A entidade iniciará a aquisição de estufas de alta tecnologia, a instalação de parreirais modelo e as reformas e adequações da agroindústria no Centro de Pesquisa Celeste Gobbato, de Caxias do Sul, uma das unidades vinculadas à extinta Fepagro. A meta é montar um polo de tecnologia em que atuem 50 técnicos e que beneficie 2,5 mil pessoas em cinco anos.
O Senar-RS planeja ainda ampliar a estrutura de apoio do Curso Técnico em Agronegócio, criando novos polos no interior do Estado. Ainda não foram anunciados os locais. Já o novo projeto em saúde está sendo desenvolvido em parceria com o Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (Imama) e auxiliará mulheres do meio rural a encaminharem exames necessários à prevenção do câncer.
voltar