Jornal em Formato HTML
 
Nº 420 - ANO 32 - SETEMBRO DE 2018
 
Curso do Senar-RS ensina a operar pulverizador autopropelido
 
O Senar-RS lançou, no final de junho, um novo curso na área de agricultura de precisão. Trata-se do “Pulverizador Autopropelido (NR 31)”, que fundamentalmente capacita produtores e trabalhadores rurais na operação dessas máquinas, largamente utilizadas no campo para a aplicação de defensivos agrícolas em culturas como soja e milho. Foi uma demanda que partiu dos próprios agricultores, que consultaram os sindicatos rurais e a entidade sobre a possibilidade de formar turmas específicas sobre o tema. Ele já compunha módulo do programa de Agricultura de Precisão.
Segundo o coordenador de Programas Especiais do Senar-RS, Alexandre Prado, o autopropelido vem, há alguns anos, substituindo os pulverizadores comuns nas propriedades, estes não motorizados e ainda puxados por trator. Dessa forma, a versão moderna seria um “compacto” dessa estrutura, oferecendo diferenciais interessantes. “Ele consegue velocidade maior, é mais alto, mais adaptado às culturas e automatiza muitos processos, a partir da tecnologia embarcada”, destaca o técnico.
Outra questão importante refere-se à configuração automática do transpasse, espécie de área de “margem” feita no momento que a máquina vira na direção contrária, sendo assim percorrida duas vezes, a fim de garantir a pulverização total da lavoura. Feita com auxílio do georreferenciamento (GPS), a ação traz maior eficiência, reduzindo custos e os riscos de fitotoxicidade com a sobreposição da aplicação.
Por esses fatores, virou um investimento quase obrigatório no campo. Para Prado, é um dos primeiros equipamentos que o produtor compra antes de qualquer outro. Gustavo Pippi, um dos instrutores habilitados pelo Senar-RS para o curso, concorda: “Existe uma oferta muito grande dessas máquinas no campo, a tecnologia está chegando com força. Ele acaba focando também por uma questão de rendimento: a pulverização é a atividade que mais faz ele entrar na lavoura. Ele planta e colhe uma vez só, enquanto pulveriza cinco”, conta ele.
Foi dessa forma que surgiu o novo curso do Senar-RS. Ele inicia pelo conhecimento e uso de defensivos agrícolas e passa pelos procedimentos de segurança e saúde do aplicador, até chegar na prática da pulverização em si: estrutura da máquina, sistema de funcionamento, parâmetros, classificação de pontas, revisão, regulagem e calibração dos componentes, tecnologias de automação com GPS e avaliação dos resultados.
A primeira turma, em caráter piloto, foi atendida na Agropecuária Richter, de Tupanciretã, entre os dias 27 e 29 de junho. “Vejo muitos colegas nossos fazendo a aplicação fora de hora, sem cuidar clima, vento, essas coisas. Foi um curso excelente”, conta o produtor Emerci Richter, 70 anos, que iniciou a propriedade no município há mais de quatro décadas e atualmente trabalha com soja, milho, trigo e outras culturas. Por lá, o pulverizador autopropelido está presente há mais ou menos 20 anos, segundo ele, facilitando a aplicação. Dois filhos e um funcionário participaram do treinamento, além de parentes de outras empresas rurais e vizinhos.
Para Pippi, o assunto deve ter forte adesão nas propriedades. “O pessoal ficou muito satisfeito com a novidade. Quando se mostra a técnica de forma simples e prática, a efetividade é grande”, afirma. O Senar-RS pretende formar outras 30 turmas até o final do ano, e o próximo município a receber o curso deve ser São Sepé, ainda em julho. Os grupos precisam ter de seis a oito participantes, e os requisitos são idade mínima de 18 anos e alfabetização. A duração total é de 24 horas/aula, divididas em três dias.
voltar