Jornal em Formato HTML
 
Nº 423 - ANO 32 - DEZEMBRO DE 2018
 
Senar-RS participa de missão sobre assistência técnica
 
Em meados de 2019, 50 mil matrizes terão sido inseminadas artificialmente em Santa Catarina com auxílio do programa de assistência técnica e gerencial (ATeG) do Senar-SC. Em 2017/2018, foram 18 mil fêmeas, com índice de prenhez positiva de 69%. “A média catarinense é entre 40% e 45%, então isso já deu um ganho muito grande para os produtores rurais”, destaca o coordenador estadual do programa em Bovinocultura de Corte, Antônio Marcos Pagani.
Essa realidade foi apresentada na 1ª Missão Técnica em ATeG do Senar, realizada nas cidades catarinenses Florianópolis e São Joaquim, na primeira semana de novembro. Representantes de nove regionais da entidade participaram da ação. Pelo Senar-RS, compareceram o superintendente, Gilmar Tietböhl, e o coordenador de programas especiais, Alexandre Prado.
Na capital, o grupo foi recebido pelo presidente do Sistema Faesc/Senar-SC, José Zeferino Pedrozo. O roteiro no interior incluiu visitas ao sindicato rural do município, à Vinícola Leoni de Venezia e às fazendas Serrinha e Água Branca. Conheceram as estruturas de manejo, estratégias de trabalho, projetos, resultados alcançados, desafios e inovações obtidas. Ao todo, são 28 grupos atendidos, em 75 municípios, beneficiando 840 produtores rurais. “A avaliação está sendo muito positiva”, garante o diretor de ATeG do Senar, Matheus Ferreira.
O médico-veterinário Wilson Castello Branco, pecuarista do município de São Joaquim (SC), é um dos atendidos. Ele conta que a assistência técnica ajudou a melhorar diversos aspectos produtivos, do índice de prenhez e natalidade até o ganho de peso. “O programa foi a melhor orientação que tive em pecuária de corte, principalmente no setor de manejo e alimentação de bovinos”, afirma ele. A família está na atividade há mais de seis décadas.
voltar