Jornal em Formato HTML
 
Nº 426 - ANO 33 - MARÇO DE 2019
 
Produtoras elegem destaques femininos do campo
 
A Comissão das Produtoras Rurais da Farsul enalteceu, mais uma vez, a força e o trabalho da mulher do campo em seu evento anual, realizado em 3 de dezembro, na sede da entidade, em Porto Alegre. Após uma série de palestras sobre temas atuais do setor ao longo do dia, dezenas de pessoas acompanharam a entrega do Troféu Destaque Feminino Rural 2018, que homenageou sete personalidades em sua 15ª edição. “Elas são o testemunho vivo da força feminina no desenvolvimento do Estado e do país”, afirmou a presidente da Comissão, Zênia Aranha da Silveira.
O prêmio foi entregue a Beatriz Dreher Giovannini (categoria Tradição Rural), Edna Ivani Bertoncini (Pesquisadora), Inês Schertel (Pioneirismo), Clarissa Lopes Peixoto (Empreendedorismo), Ceura Fernandes (Produtora Parceira), Carolina Heller Pereira (Técnica) e Carla Rosana de Freitas (Empresária Rural). A trajetória de cada uma delas é detalhada a seguir.
O evento ainda teve palestra de abertura do presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira; painel de startups do agronegócio (Brabov, Silo Verde, Arpac e Raks); apresentações do superintendente do Senar-RS a partir de janeiro, Eduardo Condorelli (Programa Deriva Zero), e do jornalista Nicolas Vital (autor do livro Agradeça aos agrotóxicos por estar vivo); além de cases de sucesso no campo. O tema deste ano foi “Liderança, Tecnologia e Sustentabilidade”. O evento compôs a 98ª etapa do Fórum Permanente do Agronegócio.

Beatriz Giovannini
Ao lado do marido, Ayrton Giovannini, Beatriz transformou a propriedade fundada pelo avô em um complexo enoturístico no município de Pinto Bandeira: a Vinícola Don Giovanni, produtora do conhaque Dreher. Recebeu o prêmio pela trajetória de incentivo ao vinho nacional, sustento de milhares de famílias no Rio Grande do Sul.

Edna Bertoncini
Pesquisadora da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) e coordenadora do Projeto Oliva São Paulo. Nele, busca organizar ações de pesquisa, desenvolvimento e transferência de tecnologias no segmento. Possui graduação, mestrado e doutorado pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), doutorado sanduíche na Università di Bari, da Itália, e pós-doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Inês Schertel
Formada em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), ela encontrou sua vocação na confecção de peças 100% manuais em lã, obtida a partir da tosquia de 400 ovelhas da propriedade, em São Francisco de Paula. O pioneirismo está na revitalização de técnicas milenares de fazer tapetes, originárias de tribos nômades de China, Irã e Afeganistão. Consiste na fricção das fibras com água e sabão, até que encolham o suficiente e formem o feltro.
Clarissa Peixoto
Atual diretora-geral do Grupo Pitangueiras, Clarissa introduziu o cruzamento do Nelore com Hereford na propriedade rural da família e alcançou 10 anos consecutivos de liderança no ranking nacional da raça. A empresa possui franquias em Goiás e Mato Grosso, marca própria de arroz beneficiado e 380 funcionários.

Ceura Fernandes
Alfabetizada em escola rural, tornou-se professora de filosofia e psicologia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e tomou as rédeas da propriedade familiar, onde cultiva arroz e soja. Nesse meio tempo, ingressou em projetos jornalísticos, como a biografia da educadora Águeda Leal, destaque na Feira do Livro Municipal de 2011. Atua há mais de 20 anos no sindicato.
Carolina Heller
As duas propriedades que ajuda a administrar, em Rio Pardo e Encruzilhada do Sul, já receberam mais de 200 estudantes universitários para práticas de manejo de pastagem, avaliação de disponibilidade forrageira, trabalho de sanidade, nutrição e bem-estar animal. Doutora em zootecnia, a jovem transforma as informações em produtos técnico-científicos. É instrutora do Programa CNA Jovem Estadual, do Senar-RS.

Carla de Freitas
Foi na propriedade dela, a Fazenda Bela Vista, de Rondônia, que nasceu o Programa de Qualidade Nelore Natural, da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ). O local sediou reunião com mais de 600 pecuaristas, em 2001. A Bela Vista ainda se tornou a primeira do Brasil a aderir às normas e receber o selo verde.
voltar