Jornal em Formato HTML
 
Nº 424 - ANO 33 - JANEIRO DE 2019
 
CNA: infraestrutura e reformas devem ser prioridade
 
A CNA defende a conclusão das reformas tributária e previdenciária e a melhoria da infraestrutura como principais metas do governo Jair Bolsonaro, que toma posse em janeiro de 2019. A posição foi colocada pelo presidente da entidade, João Martins, em coletiva de balanço de ano, em Brasília. “Somos competitivos, mas poderíamos ser muito mais se tivéssemos estradas, ferrovias e portos adequados e, principalmente, menos burocracia. Há uma porção de impostos, tributos e medidas provisórias que atrapalham o produtor”, disse.
Outros pontos importantes para o ano são intensificação das ações de segurança no campo e a conclusão de acordos comerciais com Coreia do Sul, México, Canadá e outros mercados, a partir de facilitação do comércio, remoção de barreiras sanitárias e redução de tarifas. Já o Senar terá como foco o fortalecimento da assistência técnica e gerencial nos estados e a ampliação da classe média rural.
De acordo com a CNA, o setor agropecuário foi prejudicado em 2018 pelo ambiente institucional, em razão da greve dos caminhoneiros e do tabelamento do frete, fatores que provocaram a alta dos preços dos alimentos e dos fertilizantes. Os produtores também conviveram com o clima desfavorável, o aumento dos custos de produção e a queda dos preços e de rentabilidade em várias culturas. Como resultado, o Produto Interno Bruto (PIB) da Agropecuária deve fechar o ano com queda de 1,6%, e o faturamento dentro da porteira deve cair 4,2%. A produção total foi de 228 milhões de toneladas.
Mesmo assim, o setor foi destaque nas exportações, com receita de US$ 93,3 bilhões de janeiro a novembro, alta de 4,6% em relação ao mesmo período do ano passado, respondendo por 42% das vendas externas totais do país. A agropecuária também deu importante contribuição na geração de empregos, com um saldo positivo de 74,5 mil postos de trabalho, 10% do total, sendo o quarto segmento que mais ofertou vagas no país.
A expectativa para 2019 é de uma safra de grãos maior que a deste ano, com clima mais favorável. A produção de soja na safra 2018/2019 deve crescer 6% em relação à safra anterior, com boas condições climáticas em praticamente todos os estados. As previsões da CNA também são otimistas para o milho segunda safra e algodão. O PIB do Agronegócio deve crescer 2%, e o faturamento, 4,3%.
Durante a coletiva, a CNA também apresentou dados que mostram que o Brasil é líder mundial em agropecuária sustentável, com 66,3% de seu território preservado com vegetação original. Os produtores preservam dentro das propriedades rurais um quarto do território nacional e adotam uma produção cada vez mais climaticamente resiliente. Dias depois, a CNA foi a Katowice, na Polônia, para levar as informações à 24ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-24).
voltar