Jornal em Formato HTML
 
Nº 426 - ANO 33 - MARÇO DE 2019
 
Ministros recebem Prêmio Agro Brasil 2018
 
O momento de transição no governo federal marcou também a entrega do Prêmio Agro Brasil 2018, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Personalidades antigas e novas na liderança do país foram homenageadas na cerimônia, que aconteceu em 4 de dezembro, na sede da entidade, em Brasília.
Para a CNA, o Destaque de 2018 foi Blairo Maggi, que deixou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) após quase dois anos no cargo. A gestão do agropecuarista, natural de Torres (RS), ficou marcada pela negociação de novos mercados internacionais e a conquista do certificado de país livre de febre aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). “Termino esse período com o sentimento de dever cumprido, de saber que pude contribuir com a agricultura e a pecuária brasileira”, disse.
Na categoria Política, o prêmio ficou com a ex-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária Tereza Cristina, que substitui Maggi na pasta em janeiro. Além do diálogo permanente com o setor, a deputada federal teve participação marcante na defesa do projeto de lei que moderniza e acelera o processo de registro de agroquímicos no Brasil. Como ministra, promete trabalhar pela rápida aprovação, entre outros temas de grande interesse do produtor brasileiro. “Não tenho nenhum arrependimento de ter defendido temas polêmicos. Tinha consciência do que eu estava fazendo e que estava ajudando a agropecuária brasileira”, destacou na cerimônia.
O reconhecimento na área de Pesquisa foi dado ao chefe-geral da Embrapa Territorial, Evaristo de Miranda. Em parceria com a CNA, ele demonstrou em estudo o papel dos agricultores na preservação ambiental, com base nos dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR). “Os produtores dedicam seu patrimônio em prol do meio ambiente, preservando 218 milhões de hectares no país. Ou seja, 25% do Brasil está preservado dentro dos imóveis rurais, enquanto todas as unidades de conversação preservam 10%”, destaca. Recentemente, Miranda coordenou trabalho sobre o meio ambiente para a equipe de transição do presidente Jair Bolsonaro.
O jornalista Valteno de Oliveira, do Grupo Bandeirantes, recebeu o prêmio na categoria Comunicação. Filho de produtores de leite, ele conta que possui admiração pelo trabalho dos agropecuaristas brasileiros. “Fico muito emocionado porque eu nasci no campo, no campo me criei e do campo nunca me separei. Mesmo cobrindo outras áreas, essa foi sempre uma vocação que eu tive”, conta.
Criado há três anos, o prêmio reconhece profissionais que, em suas áreas, atuam pela defesa e pela divulgação da agropecuária em todo o país. “Temos que prestigiar personalidades que fazem a diferença na agropecuária”, afirma o presidente da CNA, João Martins. A definição dos vencedores é feita por comissão julgadora, formada por representantes de federações estaduais e sindicatos rurais. A cerimônia teve a presença de diretores da CNA e do Senar, presidentes de federações, autoridades e representantes do Conselho do Agro.
voltar