Jornal em Formato HTML
 
Nº 428 - ANO 33 - MAIO DE 2019
 
CNA pede novos mercados e pragmatismo comercial a Ernesto Araújo
 
A CNA destacou a importância da abertura de novos mercados para o agronegócio brasileiro ao ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em 13 de março. Foi a primeira reunião da entidade com o chanceler do governo Jair Bolsonaro. Para o presidente da CNA, João Martins, o Brasil precisa buscar novas parcerias que diversifiquem a rede de comércio de produtos agropecuários. “O Brasil exporta para mais de 160 países, mas não podemos ficar restritos a algumas regiões e produtos”, disse o líder da comitiva.
O presidente da Farsul, Gedeão Pereira, diretor de Relações Internacionais da CNA, reforçou ainda a necessidade de empenhar esforços na Ásia, ressaltando que o principal parceiro comercial hoje é a China. “Precisamos avançar nesses mercados que se tornam, cada vez mais, os grandes clientes do agronegócio brasileiro”, afirmou Gedeão. Também foi sugerida uma postura voltada para relacionamentos bilaterais e pragmatismo comercial.
A Confederação apresentou ao Itamaraty os principais projetos que desenvolve na área internacional, entre eles a Aliança Agrobrazil, o Diplomatas no Campo e o Interagro, além da parceria de longa data com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para a divulgação do agronegócio nas principais feiras agrícolas mundiais.
Além de Martins e Gedeão, a comitiva foi formada pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba, Mário Borba; pelo diretor-geral do Senar, Daniel Carrara; e pela superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra.
voltar