Jornal em Formato HTML
 
Nº 429 - ANO 33 - JUNHO DE 2019
 
Remate de terneiros na Fenasul confirma temporada aquecida
 
O alto interesse de compradores de terneiros nesta temporada ficou evidente na Pista J do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, dia 16 de maio. Acompanhando os remates mais valorizados de outono, a 16ª Feira de Terneiros, Terneiras e Vaquilhonas e 7ª Feira de Ventres Selecionados, de Farsul e Santa Úrsula Remates, teve média de R$ 6,67/quilo para os terneiros — e todos os 239 animais foram comercializados. As terneiras (177) saíram por R$ 6,00/quilo, em média, também com pista limpa.
Realizada em meio à programação da 15ª Fenasul e 42ª Expoleite, em Esteio, o remate vendeu o total de 441 animais. incluindo também novilhas prenhas (média de R$ 5,64/quilo). A movimentação total foi de R$ 519,5 mil, com média geral de R$ 6,10. Para o diretor administrativo da Farsul, Francisco Schardong, o resultado premia lotes que estiveram entre os de maior qualidade genética já apresentados no evento. “Mostra que o Rio Grande do Sul não vive só de agricultura, mas ainda tem uma pecuária forte que paga a conta de muita gente”, afirmou o dirigente.
Os destaques desta edição foram premiados conforme o leilão avançava. O produtor Romeu Soster venceu a categoria de terneiros inteiros (lote 1). A Agropecuária Irmãos Lopes foi premiada na categoria terneiras (lote 35). Nas novilhas prenhas, vitória para a Estância do Freguês (lote 31). Por fim, nas novilhas vazias, destaque para o pecuarista Jurandir Alvez (lote 14). A maior compradora da noite foi a Estância del Sur, com 148 terneiros, incluindo o lote mais valorizado a R$ 8,70/quilo.
O cenário de recuperação da pecuária gaúcha é o que explica a retomada de preços nas pistas do interior do Estado, que deve fechar a temporada com médias superiores a R$ 6,10 pelo quilo do terneiro. No ano passado, o resultado ficou em R$ 5,82/quilo, já superando em 5,43% os números de 2017, por conta da redução de oferta e o incremento das exportações de gado em pé. Aliás, este nicho de mercado, antes visto com desconfiança para a sustentabilidade dos eventos, hoje é melhor entendido como um “parceiro da pecuária”, nas palavras de Schardong, motivando os produtores a apostarem em animais não castrados nos leilões. “Esteio só teve terneiro inteiro nesta edição”, aponta.
Também existe a expectativa de retomada do consumo de carne bovina no Brasil, a partir da aprovação das reformas, da retomada de investimentos e, consequentemente, da redução do desemprego no país — hoje a taxa está acima de 13 milhões de pessoas. O presidente do Sindiler-RS, Jarbas Knorr, avalia a epidemia de peste suína africana na China — que busca proteína segura em países como o Brasil e assim eleva as cotações do boi gordo — e a possibilidade de reabertura do mercado norte-americano à carne in natura brasileira como influências positivas.

Fenasul/Expoleite
Segundo maior evento no parque que recebe a Expointer no final de agosto, a Fenasul/Expoleite teve programação variada entre os dias 15 e 19 de maio. A feira apresentou exposições e julgamentos de raças, leilões de gado, entrega de prêmios, concurso leiteiro e provas classificatórias para o concurso Freio de Ouro, além do tradicional banho de leite. Assim como em eventos anteriores, os organizadores diversificaram as atrações para atrair tanto o público cativo (composto por criadores, técnicos e pessoas ligadas à produção) quanto visitantes urbanos.
voltar