Jornal em Formato HTML
 
Nº 433 - ANO 33 - OUTUBRO DE 2019
 
Oficinas técnicas orientaram produtores na Expointer
 
Um dos temas que ganham espaço na pecuária é o bem-estar animal. Atenta à importância do tema para o agronegócio, o Senar-RS vem realizando cursos para compartilhar informações qualificadas com os produtores em diversas regiões do Estado. Produtores como Ibaté Rosa Abreu e Celso Brauner Abreu, filho e pai, que há quase 40 anos criam gado de corte em São Lourenço do Sul. Ambos participam constantemente de atividades desenvolvidas pela instituição para aprimorar o manejo em suas propriedades.
Durante os cursos, realizados em parceria com os sindicatos rurais, técnicos chamam atenção para diversos pontos de boas práticas que podem determinar o sucesso da produção e, em especial, para garantir um produto de excelência ao consumidor final. Ibaté e Celso relatam que parte desses conteúdos aprendidos nas ações e visitas técnicas do Senar-RS já foi empregada no manejo de seus rebanhos. “Entendemos que são medidas necessárias, por exemplo, para evitar o estresse do gado, problema que compromete a qualidade final da carne. Muitas vezes, são medidas que não dependem de grandes investimentos, apenas mudanças de hábitos, como evitar agressões ao animal”, comenta Ibaté.
As capacitações e iniciativas técnicas do Senar-RS buscam promover sistemas de produção que respeitem as chamadas cinco liberdades do animal: estar livre de fome e sede; estar livre de desconforto; estar livre de dor e injúria; ter liberdade para expressar seus comportamentos naturais da espécie; e estar livre de medo e estresse. Durante a Expointer, o bem-estar animal foi o principal assunto do estande da entidade no Pavilhão de Gado de Corte, dando enfoque para os segmentos de ovinos, bovinos de corte e bovinos de leite.
Além de conceituar o termo, as oficinas trataram sobre a relação com a produtividade na bovinocultura de corte, a adequação em instalações e boas práticas de manejo como itens decisivos para o sucesso da criação. Os produtores ainda foram orientados sobre o impacto do planejamento forrageiro, que interessa tanto ao segmento de bovinos quanto de ovinos. Técnicos indicam as melhores espécies para alimentação dos rebanhos, de acordo com as características produtivas.
Outro ponto que chamou a atenção dos pecuaristas gaúchos foi o controle do capim-annoni, planta invasora com origem na África. Esse tipo de capim reduz o desempenho do gado, causando prejuízos aos produtores gaúchos há anos. O annoni causa desgaste na dentição dos animais e, por ser mais fibroso e menos nutritivo, diminui o ganho de peso. O tema vem sendo abordado por meio de seminário lançado em 2019, o “Capim-annoni: tolerância zero”, que já percorreu seis municípios do Estado, instruindo mais de 600 participantes. A iniciativa ocorre em parceria com a Embrapa Pecuária Sul.

Deriva e saúde
O Senar-RS ainda realizou diversas ações em outros pontos do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. No Pavilhão Internacional, a instituição promoveu oficinas de aplicação correta de agroquímicos, com auxílio de equipamento com laser importado dos Estados Unidos e apresentado por empresa parceira em estúdio. O objeto permitia a visualização clara dos efeitos dos ventos e da escolha dos bicos na incidência de deriva. Foram oito demonstrações por dia.
Outro investimento no espaço estava na orientação ao público sobre a importância de realizar exames de saúde regularmente e prevenir doenças. Enfermeiras verificaram pressão arterial, peso e altura e tiraram dúvidas no estande. Os atendimentos ocorreram ininterruptamente, das 9h às 18h.
Na Casa do Senar-RS, o destaque ficou por conta das quatro edições diárias da Vitrine do Arroz, onde nutricionistas abordaram aspectos nutricionais, deram dicas de hábitos saudáveis de alimentação e prepararam receitas à base de farinha do grão — também uma forma de estimular o consumo e, consequentemente, aumentar a demanda pelo produto.
voltar